sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O ultimo motivo do ano


   Numa tarde de sexta, ela se senta em frente à mesinha do computador, na sua cadeira xadrez, para ler as mensagens que seus amigos lhe enviaram. Sem saber, é claro, que talvez, a sua vida mudasse a partir dali.
   Para ela, este era um momento de matar a saudade dos amigos, que muitas vezes estavam em outra cidade, ou que somente, não estavam ali perto dela o tempo todo.
   E então, com um suspiro ela começa a ler as frases carinhosas das pessoas mais queridas do mundo...
   “Saudades!” “Como vc ta?” “Te adoro” “Feliz Natal atrasado!” “Feliz ano novo!”...
   Nem dava pra expressar todos os sentimentos que passaram pela sua mente naquele momento. Ela estava muito feliz em saber como era querida e importante para todas aquelas pessoas.
   Jesse leu e releu todas as mensagens que estavam ali; e aos poucos foi fechando as janelas de cada mensagem que tinha lido. Uma a uma elas foram desaparecendo e, para uma surpresa completa, havia uma ultima mensagem não lida, no meio de tantas outras:

   “Um único pretexto. Era o que eu precisava para estar aqui, escrevendo pra vc.
Então, aqui estou. Sem motivo nenhum. E, mesmo assim com uma vontade louca de dizer tudo o que eu estou sentindo.
   São duas da manhã e eu nem sei o que me deu pra eu te falar isso...
   Mas eu não podia deixar o ano acabar, e, mais uma vez, eu continuar fingindo q não sinto nada por vc, além da amizade. Desculpe-me por não estar aí, na sua frente, pronunciando estas palavras e por ter demorado tanto tempo; é q ninguém é perfeito.
   Entretanto, apesar de todos os meus defeitos, eu queria q soubesse q vc é mto importante pra mim. Desde sempre.
   Jesse, eu vou entender se vc disser q somos apenas amigos. Afinal, é o q nós sempre fomos, não é mesmo? No entanto, eu não podia segurar mais essa dor de ver vc tão perto de mim e não dizer o q sempre ficou engasgado aqui, na minha garganta, e q eu nunca tive coragem pra dizer; dizer a verdade...
    ...e a verdade é q eu te amo.”
           
   E, um instante depois, ela percebe que sua vida mudou completamente. Pois a verdade é que ela também o amava.


--- Gabriela

domingo, 26 de dezembro de 2010

Fogo de Artifício



Talvez a razão pela qual todas as portas estejam fechadas
É que você possa abrir uma que te leve para a estrada perfeita
Como um relâmpago, seu coração vai brilhar
E quando chegar a hora, você saberá

Você só tem que acender a luz
E deixá-la brilhar
Apenas domine a noite
Como o dia da independência

Porque baby, você é um fogo de artifício
Vá em frente, mostre o que você vale
Faça-os fazer "oh, oh, oh"
Enquanto você é atirado pelo céu

Baby, você é um fogo de artifício
Vamos, deixe suas cores explodirem
Faça-os fazer "oh oh oh"
Você vai deixá-los todos surpresos

Firework --- Katy Perry

Fonte: Terra

---Andressa

Chegue mais perto


Coloque seus pés sobre os meus no inverno,
sinta meu coração martelando dentro de mim,
e apenas finja que não vê minhas bochechas ficarem vermelhas...
...quando o espaço entre nós, não e maior que 20 centímetros.

Diga que tudo ficará bem.
E que as coisas vão acontecer ao seu tempo,
Que eu não preciso me preocupar com o que está por vir.
Somente me envolva em seu braços e me faça sentir segurança.

Chegue mais perto e sinta o meu coração.
Se estivesse aqui, saberia do que eu estou falando...
estou falando da minha falta de controle sobre a minha respiração.

Não se sinta culpado pelo tempo perdido...
...eu já não me importo mais.
Agora sente-se aqui e seja feliz comigo.


--- Gabriela

Me console


Por favor não diga “eu te avisei” … Apenas me abrace, me console e diga que vai dar tudo certo. Faça com que eu me sinta melhor e me diga que não tinha como adivinhar que isso aconteceria. Minta para mim, não me deixe sentir a pessoa mas estúpida do mundo. Só me abrace deixe que chore em seu ombro dizendo que estou arrependida e que sou uma inútil, mas não fique calada, me faça sentir como só mais uma outra pessoa que não sabia o que me esperava. Me diga que essa dor é passageira e que logo tudo isso vai passar. Apenas me console.

---Andressa

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Ano novo ... blog novo !!

Primeiramente quero pedir desculpas a todos pela a minha ausência no blog estava com problemas com a internet.
Enfim, depois de tanto tempo afastada do blog escrevi alguns texto, postei quatro de uma só vez, e comecei a preparar um novo modelo super legal pro blog, afinal, ano novo, blog novo. Também passei por aqui para avisar que vamos abordar outros assuntos no blog a partir de agora e procurar interagir com outros blogs também [parceria]. Enfim, aguardem por novidades meus queridos Gnomos *-*.

---Andressa

Considerações sobre o destino



Para falar a verdade, nunca acreditei muito nessa coisa de destino e coisa e tal, mas ultimamente, a vida tem me pego extremamente desprevenida. Sei lá, acreditando ou não, as vezes parece que existe sim uma coisa definida para o que acontecerá com a gente ou algo parecido, é como dizem por aí “se aconteceu, é porque era para acontecer, está escrito”.
As vezes isto bom, a vida sempre costuma surpreender a gente das formas mais inimagináveis possíveis, mas as vezes tem hora que parece que o cara que escreveu a nossa história não gostava muito da gente não.
Aceitar a vida como ela é, acho que não existe nada melhor. É preciso arriscar quando for necessário, prevenir também é sempre bom, mas nunca deixar de viver, viver intensamente, apaixonando-se, decepcionando-se e perdoando, e assim esperar o que está reservado para cada um de nós, sendo bom ou sendo ruim, acho que já me acostumei com a ideia de que aconteceu porque era pra acontecer mesmo.


---Andressa

O dia?



O dia em que deitarei em minha cama e não pesarei em você. O dia que eu sentirei aquele perfume e não direi que é o seu. O dia que eu passarei ao seu lado e não mais pensarei em te ter. O dia que você vai me dize oi e eu retribuirei como um oi qualquer. O dia que eu olharei em teus olhos e não mais perderei o controle. O dia em que olharei tua boca e não lembrarei de teus beijos. O dia em que eu não poderei mais dizer eu te amo...
Enquanto isso, espero O dia chegar.

---Andressa

A nossa música


Um dia ela decide que que iria esquece-lo, que nunca mais vai sequer lembrar que ele passou pela sua vida. Ela pensou que não valia mais a pena chorar por algo que não merecia seu sofrimento. Decidiu então se livrar de tudo que a fazia lembrar dele. Deletou a “música deles” do computador, o álbum “ele” do seu orkut e até mesmo apagou todos os depoimentos amorosos que ele escrevera para ela. Como se isso resolvesse alguma coisa. Pouco tempo depois percebeu que não chorava mais ao ao ouvir aquela música, e sim porque ela não estava mais lá, sabia que isso era idiotice, mas ela não conseguia evitar, o ridículo estava no fato dela não lembrar dele quando ouvia a música, e sim quando não ouvia, é difícil de explicar. “Em seus olhos castanhos, eu fui embora, em seus olhos castanhos, eu não pude ficar, em seus olhos castanhos, você a vê partir”, era o que dizia a música deles, enfim, perfeita para ela. Ela é só mais uma garota qualquer que ainda está apaixonada e finge ser forte mas por dentro sente como se estivesse levado uma facada e seu coração. Enfim, sonha em em um dia esquecer o cara que a faz se sentir como uma marionete dominada por ele.


---Andressa

Amiga


Amiga, a que sempre esteve ao meu lado, que confiou em mim. A amiga que eu sinto ciúmes, que faz com que eu chore nas horas de despedida. Amiga para o que der e vier.
Amiga de confissões, de fofocas, de rir e fazer palhaçadas. Apenas a minha amiga. Aquela que briga comigo quando estou errada, mas me defende constantemente perante todos. A melhor amiga de todas.
A amiga que me acompanha, que me chama de retardada, que faz com que eu me emocione cada vez mais só em tê-la ao meu lado. A menina que consegue arrancar um sorriso de mim até nos piores momentos da minha vida.
A que me chama para comer chocolate e ver filmes de terror em sua casa. A minha demente sabor morango.
Nada além de minha amiga


---Andressa

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Pensamento do dia:

  "É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores; mesmo correndo o risco de perder tudo do que permanecer estático, como os pobres de espírito; que não lutam, mas também não vencem; que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra, não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se perante Ele por terem apenas passado pela vida."



[Bob Marley]



--- Gabriela

sábado, 4 de dezembro de 2010

Férias...



    Ah... Como é bom estar de férias, e poder descansar de toda aquela pressão de prefessores e, às vezes, as cobranças dos pais. Como é bom viajar e espairecer a cabeçar, tirando todas as preocupações acumuladas ao longo do ano. Afinal, quem não se sente aliviado em receber as notas e ver que finalmente passou por mais uma etapa da sua vida?!
    Mas nem tudo é tão perfeito assim para algumas pessoas, porque, ao longo do ano, em meio a essa correria toda de provas e trabalhos, elas encontram grandes amigos que tornam essa rotina anual mais leve e divertida. E com a chegada do fim do anos, as despedidas e as saldades vão se aproximando também; vão deixando esse momento alegre, cada vez mais triste e mais pesaroso.
    E são nesses momentos de despedidas que nós percebemos o valor das pessoas que vivem durante o ano ao nosso lado, muitas vezes, na maior parte do nosso dia.
    No entanto, para exprimir toda essa gratidão, não deixe de dizer tudo o que sente; principalmente o quanto aquela pessoa foi, ou é, importante na sua vida completando com uma enorme abraço bem apertado e palavras de amizade!




* Para os meus amigos; com muitas saudades já!

BOAS FÉRIAS!!!


--- Gabriela

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Morada

Forfun


Faço de mim
Casa de sentimentos bons
Onde a má fé não faz morada
E a maldade não se cria

Me cerco de boas intencões
E amigos de nobres corações
que sopram e abrem portões
com chave que não se copia

Observo a mim mesmo em silêncio
Porque é nele onde mais e melhor se diz
Me ensino a ser mais tolerante, não julgar ninguém
E com isso ser mais feliz

Sendo aquele que sempre traz amor
Sendo aquele que sempre traz sorrisos
E permanecendo tranquilo aonde for
Paciente, confiante, intuitivo

Faço de mim
Parte do segredo do universo
Junto à todas as outras coisas as quais
Admiro e converso

Preencho meu peito com luz
Alimento o corpo e a alma
Percebo que no não-possuir
Se encontram a paz e a calma

E sigo por aí viajante
Habitante de um lar sem muros
O passado eu deixei nesse instante
E com ele meus planos futuros
Pra seguir

Sendo aquele que sempre traz amor
Sendo aquele que sempre traz sorrisos
E permanecendo tranquilo aonde for
Paciente, confiante, intuitivo.

   Não sei se vocês vão gostar do q está escrito nesta letra, mas é uma filosofia que eu acredito incondicionalmente e gostaria de transmitir a vocês. E não se trata apenas de palavras vazias; se trata de respeitar todos os seres vivos, amar todas as pessoas como elas são, levar amor e paz por onde for e acreditar nas coisas boas.

Letra: vagalume
Video: YouTube
--- Gabriela

sábado, 27 de novembro de 2010

"Os filósofos se limitaram a interromper o mundo de diversas maneiras; o que importa é modificá-lo."

[Karl Marx]
--- Gabriela

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.

[Willian Shakespeare]



---Andressa

sábado, 20 de novembro de 2010

Fotografia

Olá pessoas, hoje vim aqui falar de assunto totalmente diferente do que você está acostumado a encontrar aqui no Hey Gnomos, vim compartilhar um pouquinho com vocês sobre a minha paixão por fotografia. Nesse post irei dar algumas dicas de fotos que na minha opinião fazem toda a diferença.Vou confessar que ainda sou uma grande amadora nesse assunto, mas como a minha paixão por ele é tão grande, eu não poderia deixar de compartilhar-lo com vocês neh? Enfim, vou parar de enrolação e ir direto ao que interessa, a sua foto.


A primeira coisa que vejo em minhas fotos, e que ao meu ver é umas das principais características de uma boa foto, é iluminação, afinal, ninguém vai querer forçar a vista para ver a sua foto, então, fique de olho nisso.


Em fotos que o cenário é a parte principal da foto, não exagere muito na sua roupa ou na maquiagem, não é legal uma foto muito sobrecarregada, é muita informação. Se esse não é o seu caso, então não tenha medo de usar o que lhe vier na cabeça, o legal mesmo da foto pode vir a ser a sua roupa ou a maquiagem, então, abuse na sua produção.


Com o tempo, as pessoas acabam percebendo o seu “melhor ângulo” sempre há um, tire varias fotos de seu rosto com a câmera em posições diferentes, esse é o melhor jeito de saber qual a posição em que você a câmera se entendem melhor. A dica é sempre colocar um espelho atrás da câmera assim você vai poder se guiar e ter uma noção de como a foto vai sair.

Se você é ma daquelas pessoas que amam tirar fotos com a finalidade de postar no orkut, a dica é não fazer poses parecidas nem tirar várias fotos com a mesma roupa, vai me dizer que você nunca enjoou de olhar o álbum de alguém só porque já estava cansada de ver a mesma coisa em várias fotos. Uma coisa que aprendi com o tempo, que fica muito melhor do que postar todas as fotos uma seguida da outra em que estou com a mesma roupa, no mesmo lugar e com poses parecidas, é fazer o tão famoso mosaico de fotos, assim as pessoas vão ver todas elas de uma vez e não vão desistir de explorar o seu álbum no meio do caminho.


Uma das minhas fotos preferidas, e creio eu que de muitas outras pessoas, são as espontâneas, então não tenha medo de colocar aquela sua foto que você saiu dando gargalhadas, andando ou olhando para outro lugar com uma aquela cara super legal de distraída, mas se estou falando que fotos espontâneas são legais, não quer dizer que você vai sair postando uma foto super nada a ver de você fazendo comida ou algo parecido, divulgue apenas aquilo que achar necessário.

Se o seu problema é a criatividade para a pose, pesquise mesmo na internet fotos que você acha legal, explore o flickr das pessoas e viva o seu “momento flash” do jeito que achar melhor.
Enfim, acho que já falei demais espero ter ajudado nem que seja um pouquinho com essas minhas dicas de amadora que sou na arte da fotografia, até a próxima.

--- Andressa

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Distância



Por que existe essa tal de distância? Não havia uma coisa melhor para se inventar? Venho te dizer, pessoa que inventou essa coisa, que isso dói, e muito. Lágrimas escorrem dos meus olhos, sinto uma coisa forte bem aqui dentro de mim, o que eu faço agora hein?
A saudade, essa sim acaba comigo, fazendo-me de sua vítima fatal. Um dia ainda vou descobrir quem inventou essa coisa, só assim poderei descobrir para que ela serve.... ou não. Será que existe uma explicação exata para isso? Porque as pessoas a sentem? É, um dia irei descobrir.

---Andressa

Sonhe


Sonhe com o seu mundo invertado.
sonhe com as torres de um castelo
e com um beijo apaixonado
sonhe, sonhe, sonhe.

Sonhe com o seu principe encantado
e com o felizes para sempre
de uma conto de fadas almejado
sonhe, sonhe, sonhe.

Apenas sonhe com a felicidade
e tente enconta-la
sonhe, sonhe, sonhe.

Nunca pare de sonhar
pois o sonho é a parte mais real 
da nossa realidade.


--- Gabriela

Justificativas...

Oi leitores e leitoras do "Hey Gnomos", eu queria me desculpar pela falta post e também me justificar: é que, com a chagada do fim de ano, a Andressa e eu estamos um pouco atarefadas com os assuntos da escola e, justo nesta semana aconteceu dois eventos que tomaram bastante o nosso tempo; a feira de ciências e uma apresentação de teatro. Entretanto eu espero que vocês entendam '-' e, é claro, que nos perdoem.

E para compensar, eu trouxe uma poesia da Cecília Meireles; espero que gostem .-.

Timidez

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...

- mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...

- palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,

- que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...

e um dia me acabarei.

Cecília Meireles


--- Gabriela

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Um dia ... quem sabe?




Porque você não me nota? Ainda estamos naquela faze em que só ela gosta dele e o admira em segredo. Será que sou tão invisível assim para você?
Talvez eu seja só aquela garotinha da sua escola que ainda gosta de saias rodadas, sapatilha e lacinho na cabeça que você tem que esbarrar toda vez que passa pelo corredor.
Me sinto como uma menininha apaixonada que só fica olhando para o menino achando que ele nunca vai perceber e que nunca vai notá-la. Estou sofrendo cada vez mais do famoso “amor não correspondido”.
Talvez um dia, quem sabe, você perceba que eu existo. Talvez não. Mas isso só o tempo irá dizer . Enquanto isso o que eu faço? Continuo só admirando você.

--- Andressa


terça-feira, 9 de novembro de 2010

Funeral Blues

   Olá garotos e garotas que acompanham o "Hey Gnomos", ou que por um acaso se viram perdidos por aqui.
Hoje, mais uma vez, eu touxe um poema de um outro autor =D. O nome dele é Wystan Hugh Auden (1907 - 1973); talvez vocês não o conheçam.
No entanto eu o recomendo. Espero que gostem .-.


Parem todos os Relógios, desliguem os telefones
Não deixem o cão ladrar aos ossos suculentos,
Silenciem os pianos e com os tambores em surdina
Tragam o féretro, deixem vir o cortejo fúnebre.

Que os aviões voem sobre nós lamentando,
Escrevinhando no céu a mensagem: Ele está morto.
Ponham laços de crepe em volta dos pescoços das pombas da cidade,
Que os policias de trânsito usem luvas pretas de algodão.

Ele era meu norte, o meu sul, o meu leste e oeste,
A minha semana de trabalho, o meu descanso de domingo,
O meio-dia, a minha meia-noite, a minha conversa, a minha canção;
Pensei que o amor ia durar para sempre; enganei-me.

Agora as estrelas não são necessárias; apaguem todas; Emalem a lua e desmantelem o Sol;
Despejem o Oceano e varram o bosque;
Pois agora tudo é inutil.

 W. H. Auden


--- Gabriela

sábado, 6 de novembro de 2010

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Então é isso...



Como se nada existisse.
Cada um prum canto,
Sem nada a dizer.
Sem sequer um adeus.

Então é isso...
Todo esse tempo perdido,
Jogado numa lata de lixo.
Então é realmente isso?

Eu nunca imaginei um final.
Agora estou vivendo-o.
Então é essa a sensação?

Mas não se preocupe,
Não é tão ruim assim.
Apenas, cada um prum canto.



--- Gabriela

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Contagem regressiva


Queria poder fugir,
ou pelo menos ficar invisível por uns longos dias.
Queria poder me trancar num casulo;
e ficar lá ate a nevoa passar.

Mas será que ela vai passar?
E se ela não passar?
Estou ficando com medo.
E os segundos estão correndo.

Depressa, o tempo está acabando.
Venha logo me salvar!
Porque sozinha eu não consigo te encontrar.

Venha me tirar desse lugar sombrio.
Leve-me para perto de você.
Mas, por favor, não demore...


--- Gabriela
“A primeira coisa, portanto é dizer-vos a vós mesmos: Não aceitarei mais o papel de escravo. Não obedecerei às ordens como tais, mas desobedecerei quando estiverem em conflito com minha consciência. O assim chamado patrão poderá sorvar-vos e tentar forçar-vos a servi-lo. Direis: - Não, não vos servirei por vosso dinheiro ou sob ameaça. Isso poderá implicar sofrimentos. Vossa prontidão em sofrer acenderá a tocha da liberdade que não pode jamais ser apagada.”


[Mahatma Gandhi]






--- Gabriela

E agora?


Cadê você que não está mais aqui do meu lado para me consolar?
Quando ainda estávamos juntos você dizia que me amava, você foi meu melhor amigo. Só você conseguia transformar minhas lágrimas em sorriso, eu ficava nervosa quando estava ao seu lado. Você mudou sua atitude de um dia para o outro, agora não sei bem se o que você me falava era verdade.
Decidi te esquecer, é isso mesmo, eu sou melhor do que isso, não sofrerei por alguém que não mereça todo esse meu sofrimento. Acabou. Agora sou livre meu bem, vou viver intensamente e ser feliz assim mesmo, pois descobri que não dependo de você.





--- Andressa

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Felicidade




Ser feliz... É esse o objetivo de muitas pessoas.


        E para quem está tentando alcança-la; a felicidade não é apenas um sentimento, ela é uma forma de vida; um estado emocional que, poucos conseguem alcançar em toda a sua existência.
        O motivo? Não sei. Talvez seja o "stress" da vida em rotina ou os próprios problemas adquiridos ao longo do nosso dia. Mas isso não quer dizer que podemos deixar que essas barreiras ofusquem o nosso maior objetivo. Porque desistir nunca é a melhor opção... Portanto, enfrentar os problemas e procurar uma solução para deixar a tristeza de lado são sempre opções válidas.
        Porém, procurar uma solução, não quer dizer, simplesmente, sair por aí distribuindo sorrisos para todas as coisas que acontecem ao seu redor. É se empenhar para que sua vida seja sempre motivo de alegrias e bem-estar; e quando isso acontecer, será o momento certo de sair por aí distribuindo sorrisos, até porque um sorriso sincero sempre contagia os que estão à nossa volta.
        Seja feliz! Aproveite seu tempo com coisas que te fazem bem. Viva intensamente cada momento alegre da sua existência e faça com que ele dure uma eternidade.


--- Gabriela
"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, sempre haverá guerra."

[Bob Marley] 




--- Andressa e Gabriela

Um mês *--*

Olá pessoas! Hoje é um dia muito especial para nós duas. Pois o Hey gnomos está completando o seu primeiro mês de vida \o/. E como ele está deixando de ser um bebezinho [rs], resolvemos que vamos expandir o gênero do nosso blog. É, isso mesmo, a partir de hoje, vocês,  leitores e leitoras do blog, iram encontrar novos marcadores por aqui.
E para comemorar o “aniversário de um mês” do blog vamos inaugurar a tag "Pensamentos".

Espero que gostem e que tenham um feliz um mês! =D  

--- Andressa e Gabriela

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Amigos serão sempre amigos

Quem não gosta de desabafar, contar histórias, abraçar e brincar ? Ainda mais quando temos um amigo para dividir esses nossos momentos. A propósito, o que seria de nós sem eles? Grandes, pequenos, gordos ou magros, não importa, o que vale é que eles são apenas eles, nossos amigos.



A amizade, se bem cultivada, pode ser o seu tesouro mais precioso. Ela é a única que nos acolhe nos momentos mais difíceis, nos ajuda a erguer a cabeça e a seguir o nosso caminho sem desistir à cada obstáculo.


Amigos serão amigos
Quando você está carente de amor ... eles te dão carinho e atenção
Amigos serão amigos
Quando você está cheio da vida e toda a esperança está perdida
Segure suas mãos ... porque amigos serão amigos até o fim
----Friends will be friends
---Queen


Não importa se o seu amigo é imaginário ou não, o importante é amá-lo da forma que ele é.


Título da postagem retirado da música Friends will be friends


--- Gabriela e Andressa

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Hey Gnomos!


Vontade de gritar; colocar tudo para fora. Hey! Tem alguém me ouvindo? Ou será que estou falando com Gnomos? Quero me libertar, me expressar, dizer o que estou sentindo. Hey Gnomos! Vocês ainda estam aí? Vocês podem me ouvir? Só por uns minutos...

Quero desabafar; dizer o que se passa na minha cabeça; tirar esse peso das minhas costas. Quero questionar, expressar minha opinião, não aguento mais ficar calada. Hey Gnomos! Me escutem.

--- Andressa

sábado, 16 de outubro de 2010

Desculpe-me


Desculpe-me pela minha falta de entusiasmo
É que a minha esperança está para se esgotar
E a minha coragem? Longe de despertar
Então me diga o que fazer.

Desculpe-me por não dizer nada
É que a cada batimento
Eu percebo o meu coração
Esmagando minha mente com lágrimas de decepção.

Desculpe-me pelas borboletas no estômago
É que eu não posso evitar...
Então me diga como parar.

Desculpe-me por está dizendo isto
É que eu não estou suportando
Eu realmente não estou suportando o silêncio.


--- Gabriela

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Viva


Viva. Viva intensamente como se cada minuto fosse o último da sua vida. Esqueça um pouco os outros e concentre-se  na sua felicidade, afinal, o que seria mais importante? Liberte-se, cante, pule. Faça o que lhe der na telha. Seja você. Vergonha? Isso é para os fracos. Não se arrependa do que faz, pois não é possível voltar no tempo, o que está feito, está feito, você não poderá mudar. Use o que quer usar, fale o que quer falar. Ame, procure o seu “príncipe encantado” e seja feliz para sempre.

---Andressa

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Poesia

   Olá pessoas! Hoje eu decidi que não iria postar uma coisa minha, eu iria colocar alguma coisa que eu realmente gostasse, então comecei a procurar textos que me dissessem algo. Foi aí que eu me lembrei desse aqui.
   Ele é um poema de um dos Heterônimos de Fernando Pessoa - Alberto Coeiro -, e tem muito a ver comigo.

Espero que gostem.    .-.

Há metafísica bastante em não pensar em nada

Alberto Coeiro



O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso

Que ideia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre Deus e a alma
E sobre a criação do mundo?
Não sei. Para mim, pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

O mistério das cousas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.

Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores?
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?

"Constituição íntima das cousas”...
"Sentido íntimo do universo”...
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em cousas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.

Pensar no sentido íntimo das cousas
É acrescentado, é como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.

O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.

Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.
Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?),
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.


--- Gabriela

sábado, 2 de outubro de 2010

Maria Valentina


       Maria Valentina é uma camponesa de 16 anos que mora em um pequeno bosque, perto de um vilarejo; na Romênia. Ela tem os cabelos ondulados, negros e compridos; usa sempre vestidos simples de estampas alegres; que nos revela bem como ela é: uma menina meiga e feliz.
       MV – como é chamada por seus amigos - mora com sua avó Elizabete, numa casinha verde-limão, com portas e janelas azuis-anil e cortinas de bolinhas brancas. Do lado de fora, existe um lindo jardim de violetas, cultivado por ela mesma; que é uma excelente jardineira, pois tem o dom de compreender a natureza e o resto do mundo como ninguém.
       Ela é uma jovem sonhadora, que está sempre disposta a ajudar, porque sabe que sem solidariedade, não se pode chegar a lugar nenhum. Seu maior sonho é construir uma ONG que ajude a salvar o meio ambiente e as pessoas das ruas, para que elas possam se realizar como seres humanos e para elas terem uma vida digna.
       Apesar de Maria Valentina morar no campo, está sempre conectada ao mundo e às coisas boas e ruins que acontecem nele. Ela é uma garota muito sensível, ama a arte; principalmente as cênicas. Por isso acredita que é através da cultura e do conhecimento que o mundo vai se transformar em uma coisa completamente boa.
       Está sempre pronta para enfrentar o que vier, vive cada dia como se fosse o último e ama cada ser vivo à sua volta, porque acredita que tudo isso faz parte da sua existência e também porque sabe que “dessa passagem [o amor e] o conhecimento [são] a única bagagem levada”.
       Enfim, Maria Valentina é só mais uma adolescente de 16 anos, que, diferente de muitas outras, tem um propósito de amor e solidariedade para a sua vida.


E para quem acha que Maria Valentina é uma caipira do interior e sem conhecimento, está completamente enganado. Maria Valentina tem amigos, tem segredos, tem fraquezas, porque ninguém é perfeito, e até usa a internet.
Outro dia ela conheceu um garoto. E esse garoto mora no vilarejo que eu havia mencionado outro dia. Ela sentiu algo inesperado quando passou por ele numa pequena viela do lugar; sentiu que algo dentro de si tinha mudado, tinha se tornado mais espaçoso, mais incomum.
Porém, como já disse, Maria Valentina é só mais uma adolescente, que sente frio, sono e medo. E naquele momento, ao mesmo tempo em que sentia algo novo e maravilhoso, Também sentia uma necessidade de sair correndo dali e se esconder nos braços de sua avó, com medo de não ser a garota certa ou de não está no padrão daquele menino a quem direcionava todos os seus olhares.
       Ela queria se aproximar, queria saber do que ele gostava, do que ele fazia, de como ele passava o seu tempo livre; se gostava das mesmas músicas que ela, se gostava de violão ou até mesmo de livros... Mas a maldita insegurança sempre ofuscava o caminho para a sua felicidade. No entanto ela não conseguia desistir, pois apesar das suas incertezas, sabia, no fundo, que algo também se transformava no coração daquele jovem rapaz.
       Maria Valentina, como não conseguia mudar a situação, esperava que um dia Miguel - o motivo de tantas aflições – atendesse suas preces e resolvesse agir. Mas nada mudou. Passaram-se uma, duas, três semanas. E as dúvidas tomavam sua cabeça, os pensamentos negativos dominavam sua mente e seu coração transbordava de angustias, enquanto o medo não deixava que ela se livrasse desses sentimentos corrosivos.
       Sem saber o que fazer, decidiu que ia esquecer essa história, ia seguir sua vida e colocaria um ponto final nesse conto de fadas sem final feliz. E com isso Maria Valentina deixou de ir a lugares que antes gostava de freqüentar, não se divertia mais, e até sua melhor amiga, Isadora, ela deixou de lado. Dessa forma ela foi levando a vida.
       Bem, isso foi até o dia em que a Sra. Elizabete lhe pediu que fosse à cidade para trazer algumas coisas que estavam faltando em casa. Maria Valentina pensou que já havia se curado daquela decepção que sofrera por causa de suas dúvidas e de seus medos. Contudo, estava erroneamente enganada; e ao passar pela ruazinha acabou se deparando, mais uma vez, com aquele menino de cabelos castanho-claros que causava reboliço em seus sentimentos mais profundos. Naquele instante o mundo parou e seus olhos só enxergavam aqueles olhos arregalados e aquele sorriso disparado em sua direção. Seu coração ficou altamente acelerado, e sem pensar em suas incertezas passada, retribuiu com um sorriso ainda mais radiante e um oi desajeitado e rouco.
       Naquele momento, um oi foi o máximo que conseguiu dizer, mas foi o bastante para ela perceber que desistir não era a melhor opção. Então decidiu que não abandonaria sua felicidade numa viela qualquer, pois ela viu nos olhos de Miguel que ele sofria do mesmo mal que atormentava suas noites: o medo.


--- Gabriela